Cupim
Cupim Praga
Organização social dos Cupins
O ciclo de vida dos cupins
Os ninhos de Cupim
Cupins em ambientes rurais
Cupins no ecossistema
Características dos ninhos de cupim
Danos causados às pastagens
Combater cupins em áreas rurais
Cupim em ambiente urbano
Cupim de madeira seca
Como evitar Cupim de Madeira
Cupim subterrâneo
Como evitar Cupim subterrâneo
Dedetização Cupim
Cupim arborícolas
Considerações cupim
FAQ - Cupins
Contato

 

 
Os textos contidos neste site possuem direitos autorais. Sua cópia total ou parcial, sem autorização expressa, resultará em medidas judiciais cabíveis.
 

Características dos ninhos de cupim

O aspecto físico dos cupinzeiros pode variar de acordo com a espécie. Para se eliminar uma colônia, quando isso se fizer necessário, é fundamental que se conheça a espécie do cupim infestante, bem como características de seus ninhos.

a) Ninhos de Cornitermes cumulans

As mesmas características dos ninhos de Cornitermes cumulans são válidas para Cornitermes bequaerti e Cornitermes silvestrii.

Externamente, o ninho se assemelha a um monte arredondado de terra dura, marrom-avermelhada. Essa parte mais externa do ninho, que se encontra acima da superfície do solo, é permeada por muitos túneis e galerias através dos quais os cupins se locomovem. Em sua parte mais interna, encontra-se uma cavidade, denominada câmera celulósica ou núcleo. Essa região é mais frágil e apresenta coloração mais escura do que o resto do cupinzeiro, uma vez que é construída a partir de celulose e matéria fecal. É nessa região em que se encontra a maior parte dos cupins. O ninho encontra-se ligado ao solo em sua base, por meio de canais que permitem aos cupins explorar o ambiente ao redor em busca de alimentos.

Cupins do gênero Cornitermes podem apresentar ninhos menores, que estão ligados a um ninho original. Nesse caso, todos são mantidos pelo mesmo casal real. Ninhos desse tipo são denominados compostos ou policálicos.

b) Ninhos de Cornitermes bequaerti

Os ninhos de Cornitermes bequaerti apresentam aberturas para o exterior em formato de chaminés, diferentemente dos cupinzeiros de Cornitermes cumulans. Além disso, a câmara celulósica está localizada mais profundamente ao solo.

c) Ninhos de Cornitermes silvestrii

Para essa espécie, é importante ressaltar que o ninho não apresenta ou núcleo. Em sua parte externa, possui um formato mais achatado e cresce mais em largura do que em altura.

d) Ninhos de Syntermes spp.

Os ninhos de cupins do gênero Syntermes pode ser de três tipos:
• completamente subterrâneos, apenas com orifícios no solo, permitindo a entrada e saída dos cupins;
• subterrâneo, mas com um pequeno monte de terra fofa aflorando à superfície;
• subterrâneo, com um pequeno monte de terra resistente e dura na superfície.

De um modo geral, os ninhos de Syntermes encontram-se mais espalhados do que os de Cornitermes e são geralmente mais baixos. Para os leigos, podem ser semelhantes a ninhos de formigas saúvas.

e) Ninhos de Heterotermes tenuis

Os ninhos de Heterotermes tenuis são subterrâneos e difusos.

 

Todos os Direitos Reservados a Cupim .net.br