Cupim
Cupim Praga
Organização social dos Cupins
O ciclo de vida dos cupins
Os ninhos de Cupim
Cupins em ambientes rurais
Cupins no ecossistema
Características dos ninhos de cupim
Danos causados às pastagens
Combater cupins em áreas rurais
Cupim em ambiente urbano
Cupim de madeira seca
Como evitar Cupim de Madeira
Cupim subterrâneo
Como evitar Cupim subterrâneo
Dedetização Cupim
Cupim arborícolas
Considerações cupim
FAQ - Cupins
Contato

 

 
Os textos contidos neste site possuem direitos autorais. Sua cópia total ou parcial, sem autorização expressa, resultará em medidas judiciais cabíveis.
 

Danos causados às pastagens

Não se pode afirmar ao certo se “cupins de montículo” realmente prejudicam as pastagens. É comum afirmar que esses cupins consomem as folhas da vegetação, diminuindo a quantidade de alimento disponível para o gado, entretanto, estudos mostram que os operários preferem folhas secas, ramos, sementes e outros restos de vegetais mortos que encontram na superfície do solo. Eventualmente, esses animais consomem folhas e raízes de plantas vivas. No caso de Cornitermes cumulans, mesmo em áreas bastante infestadas, não se tem verificado danos significativos às pastagens. Além disso, é comum observar que a qualidade das pastagens raramente melhora após o extermínio dos ninhos ali presentes. Isso ocorre porque os cupins geralmente infestam áreas que já estavam degradadas e com baixa produtividade, não sendo eles os responsáveis por esses danos.

Especial atenção deve ser dada ao cupim do gênero Syntermes, que se alimentam de folhas verdes. Esses animais saem dos ninhos através de pequenos orifícios e formam fileiras de operários, que são protegidas por alguns soldados. Os operários buscam folhas vivas, que serão levadas para o interior do cupinzeiro, a fim de alimentar a colônia. Deve-se ressaltar, entretanto, que esses cupins ocorrem em menor número, não constituindo uma ameaça séria para as pastagens.

Cupim do gênero Heterotermes também causam danos à canaviais, uma vez que atacam as raízes das plantas. Nesse caso, a perda da produção por ataques de cupins pode chegar até a 10 toneladas por hectare ao ano.

Um dos problemas causados por cupins em áreas infestadas é que seus ninhos dificultam a passagem de máquinas agrícolas, além diminuir, ainda que de maneira pouco significativa, a área útil da pastagem. Além disso, cupinzeiros abandonados podem abrigar animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões.

De um modo geral, os “cupins de montículo” não representam ameaça real à produção agrícola, mas são altamente combatidos por serem considerados “pragas estéticas”, uma vez que conferem às pastagens aparência de degradação e abandono.

Todos os Direitos Reservados a Cupim .net.br